Ainda tem música no seu website? Pare já com isso

Não coloques música em auto-play no teu site

Por incrível que possa parecer é ainda possível encontrar alguns websites que ‘oferecem’ música aos seus visitantes logo que estes chegam à página.

Quem diz música, também diz vídeo em auto-play.

Nos últimos tempos tenho encontrado alguns. Não muitos mas alguns e em número suficiente para me eriçar os pelos do pescoço.

Se este é o seu caso, aqui fica a nossa recomendação: pare já, agora, de imediato, com isso.

Em jeito de curiosidade, o que o leva a ter, em 2014, música no seu website? Ou, pior, no da sua empresa?

  • Hipótese 1: revivalismo dos sites da segunda metade dos anos 90, quando a Internet era um admirável mundo novo.
  • Hipótese 2: porque você gosta e que se lixem os visitantes do seu site (ou do site da sua empresa).
  • Hipótese 3: porque quem lhe fez o website disse que ficava bem. Saiba, então, que ele (ou ela) é um idiota.

Música no website em piloto automático? Não

Os websites não devem ter música em piloto automático.

Por várias razões, sendo que há uma determinante: prejudica a experiência dos visitantes.

E se o seu website não existe por causa dos utilizadores mas apenas para seu deleite pessoal, então coloque-o como privado e poupe quem, por engano, aterrou no seu espaço.

Contextualizemos.

1. Aprenda com os melhores

Visite alguns dos websites mais visitados do mundo. Algum lhe dá música à chegada? Pois. Não é porque não saibam ou não podem. Todos eles fizeram estudos e análise e concluíram que era uma péssima ideia.

2. Uma questão de gosto

Acredite nisto: não há uma única música no mundo que agrade a toda a gente. Então porque correr o risco de desagradar a alguns visitantes?

3. Uma intrusão

Imagine uma pessoa que se prepara para visitar o seu website. Imagine-a com uns auscultadores colocados e a ouvir música no CD do computador ou num website específico de música. Até mesmo no YouTube. Ao chegar ao seu website é surpreendida com música que não pediu. O que acha que acontece? Abandona o seu site de imediato ou vai à procura do controlo para parar a música? Não precisa de imaginar, nós dizemos o que acontece: a primeira opção.

4. Sobressaltos

Agora imagine alguém que não está a ouvir nada mas tem as colunas do computador ligadas e o som activado. Imagine-a a chegar ao seu website e ser surpreendida com música que não pediu. Além do susto, o que acha que acontece? Abandona o seu site de imediato ou vai à procura do controlo para parar a música? Não precisa de imaginar, nós dizemos o que acontece: a primeira opção.

5. Uma questão de direitos

Tem a certeza de que as músicas que tem no seu website podem lá estar? Tem os direitos delas?

6. Uma pesquisa boa pode ser uma pesquisa má

Continuemos a fazer uso da imaginação. Um potencial cliente faz uma busca pelo seu ramo de negócio e, além do seu website, encontra outras empresas concorrentes. Vai abrindo vários websites, um em cada separador, até que chega ao seu e… pumba, saí-lhe música. O que acha que acontece? A música vai atrai-lo para o seu website ou repeli-lo? Não precisa de imaginar, porque nós damos a resposta. E não é aquela que lhe interessa.

7. Uma questão de tempo

Acrescentar música ao arranque de um website é o mesmo que acrescentar tempo ao seu carregamento, prolongando a espera do visitante. Você gosta de esperar pelo carregamento de sites lentos? O seu visitante também não.

8. Mas o meu website é de uma banda

E depois? Você sabe usar o botão de ‘play’, não sabe? Os seus visitantes também. Mas, enfim, no seu caso até podemos considerar, apenas considerar, essa hipótese. E apenas em certos momentos, como no lançamento de um novo disco.

9. Mas o meu website é de uma rádio

E depois? Você sabe usar o botão de ‘play’, não sabe? Os seus visitantes também.

Mas isto também se aplica aos vídeos, mesmo os institucionais?

Sim. De novo: sabe usar o botão de ‘play’, não sabe? Sabe usar o botão para activar o som em vídeos? Os seus visitantes também sabem.

Conclusão

Vá lá, podemos ser menos rigoroso e um pouco flexíveis no caso dos sites das bandas e das rádios. Em todo o caso é sempre preferível que o som seja activado pelos utilizadores.

José Freitas

José Freitas

Ajudo pequenas e médias empresas e empreendedores a criar estratégias online para conseguirem melhores clientes, através da comunicação relacional. Na minha vida passada fui jornalista durante 25 anos. A comunicação é a minha praia. Viciado em café intenso e aromático.

Queres receber as nossas mensagens semanais o teu email?

As nossas mensagens são compostas por pequenos textos escritos a pensar em ti (sim a sério, a pensar em ti).

Não enviamos SPAM porque também não gostamos de o receber.