Alojamento: o barato saí caro

Groucho Marx

Num concurso televisivo que apresentava, o actor e comediante Groucho Marx deparou-se com uma concorrente que tinha nove filhos. No seu estilo habitual, Groucho perguntou à mulher porque razão tinha tão prolífica prole.

“Porque amo o meu marido”, respondeu ela, creio que com indisfarçável orgulho.
“Também amo o meu cigarro mas de vez em quando tiro-o da boca”, respondeu Marx.

Foi deste episódio real que me recordei nestes dias, quando um alojamento barato mas fraquinho causou problemas no website de um cliente.

Quando assumimos o trabalho de criar a nova presença online do cliente em causa, aceitamos manter o hosting, com o sacrossanto argumento de ser barato e o ‘imbatível’ argumento de que “até agora não deu problemas”. Já se vê que a expressão ‘até agora’ é a chave.

Alguns meses depois, o servidor do alojamento em causa acumulava websites como o estádio do Real Madrid acumula espectadores em dia de Real – Barça. E os problemas começaram a ocorrer. Ora quebras do serviço, ora uma lentidão inexplicável no carregamento, entre outros detalhes de mais ou menos importância.

A moral da história já a sabemos de cor e salteado desde miúdos: o barato, muitas vezes, saí caro. O problema é quando não queremos tirar o cigarro da boca de vez em quando.

Noutra perspectiva: quando não queremos investir um pouco mais num alojamento de qualidade corremos o risco de ficar com o website em baixo por umas horas.

A propósito disto acabei de me lembrar de outra história mas fica para outro dia.

P.S. O website do cliente está recuperado e encontra-se alojado num serviço fiável e estável.

José Freitas

José Freitas

Jornalista de profissão, aficionado do WordPress em projectos pessoais e colaborativos. Cinema, música, tecnologia, fotografia e mais umas coisas. De vez em quando assobia e alguma coisa acontece.

Queres receber as nossas mensagens semanais o teu email?

As nossas mensagens são compostas por pequenos textos escritos a pensar em ti (sim a sério, a pensar em ti).

Não enviamos SPAM porque também não gostamos de o receber.