11 dicas práticas para levares mais tráfego para o site e teres mais clientes

É um desafio a vencer todos os dias.

Pergunta a todas as pessoas que gerem um negócio sobre qual é o seu principal objetivo e provavelmente todas elas vão dizer o mesmo: ter mais clientes.

Num negócio com uma presença online, a seguir a ‘ter mais clientes’ está o item ‘ter mais tráfego no site’. Em parte, ambos estão ligados.

Aliás, este é também o teu objetivo.

Como muitas outras pessoas queres levar mais visitantes para o site, como forma de lhes apresentar os serviços e produtos que tens para vender.

Todos sabemos que é cada vez mais difícil conquistar a atenção dos consumidores, num mercado online onde a concorrência é elevada e o tempo de atenção dos utilizadores num website é cada vez mais curto.

O site é uma ferramenta indispensável para empresas de todos os géneros, das minúsculas de vão de escada às gigantes multinacionais.

Muitas vezes ter mais visitas equivale a ter mais vendas e clientes.

Se assim não for alguma coisa está mal.

Há muitas formas de promover um aumento de tráfego para o teu site. Vamos ver algumas delas.

No final, vais começar a implementa-las, a todas ou apenas algumas, para conseguires captar mais visitantes e, depois, transforma-los em clientes.

Começa por descobrir quem são os teus visitantes e clientes

Julgas que sabes quem são as pessoas que visitam o teu site? Que conheces os teus clientes como a palma das mãos? Talvez tenhas uma surpresa se falares com alguns deles.

É muito provável que desconheças as suas dúvidas e hesitações, mesmo em relação aos produtos que vendes.

Acompanha-me num exercício de imaginação.

Imagina que tens uma loja de roupa, física ou online. Mesmo que uma cliente te faça algumas perguntas sobre um determinado vestido, é muito provável
que nada te diga sobre os sapatos que vai usar com eles. Mesmo que o faça, talvez não aborde a maquilhagem para aquele evento especial.

Muitas vezes são estas as dúvidas interiores dessas pessoas: ‘Será que aqueles sapatos combinam bem com este vestido’? Ao contrário do que possas pensar, esta não é uma futilidade irrelevante para aquela pessoa. O vestido e os sapatos serão usados num evento especial, mesmo que seja um simples jantar em casa com amigos.

Bem vistas as coisas, a tua loja de roupa não está a vender vestidos mas sim emoções.

Agora, transporta este tópico para o teu negócio e tenta perceber se tens assim tanta certeza de que conheces bem os teus clientes.

Descobre em detalhe quem são os teus clientes e potenciais clientes.
Descobre em detalhe quem são os teus clientes e potenciais clientes.

Faz perguntas para teres respostas

É, por isso, muito importante fazeres um inquérito junto dos teus clientes e potenciais clientes. Mostra que tens, de facto, um interesse genuíno na opinião deles.

Ocupa algum tempo a selecionar e preparar as perguntas. Tem de ser curto, talvez até 10 perguntas. Destas, duas ou três, no máximo, podem ser fechadas, nas quais forneces as possibilidades de resposta. As restantes devem ter respostas em aberto.

Procura saber as preocupações e o que desejam os teus clientes e as pessoas que subscrevem a newsletter ou te seguem no Facebook.

Podes apenas pedir a ajuda dessas pessoas, para que mais tarde as possas ajudar e elas, e não oferecer nada em troca. Se quiseres muitas mais respostas, oferece algo simbólico. Evita ofertas de valor elevado ou um desconto significativo.

O objectivo é obter respostas válidas e interessantes e não coisas vagas e sem sentido apenas com o objectivo de receber um cupão de desconto.

Esta é uma forma de obteres dados para criares o teu público-alvo preferencial, as tuas ‘buyer personas’ ou ‘avatares’. Ou cliente-tipo.

Cria diversos clientes-tipo

Buyer personas, avatares, cliente-tipo, chama o que quiseres. No fundo são representações dos perfis do teu público-alvo. Por norma é mais que um mas não é toda a gente.

São personagens criadas usando dados reais que visam, em simultâneo, responder sobre qual é o público-alvo actual da tua empresa e qual é o público-alvo que pretendes atingir.

Este é um ponto importante para a organização da estrutura web, visando levar mais tráfego orgânico para o site.

Cria o máximo de personagens que consideres adequados.

Para as criar convém responder a todas estas questões:

  • Homem / Mulher ou ambos;
  • Idade;
  • Emprego e família;
  • Local de residência e trabalho;
  • Gostos e interesses;
  • Tipo de atividade profissional;
  • Rendimentos;
  • Objetivos dessa pessoa perante a tua empresa;
  • Os seus desafios;
  • O que pode ser considerado um sucesso;

Para cada tipo de negócio haverá mais umas questões que devem ser consideradas.

É para este público que vais comunicar.

Para o conheceres um pouco melhor e saber se são estas pessoas que andam a visitar o teu site, analisa o Google Analytics todas as semanas.

Cria o número necessário de clientes-tipo para o teu negócio
Cria o número necessário de clientes-tipo para o teu negócio

Examina o Google Analytics para descobrires mais sobre os teus visitantes

O Google Analytics é uma das mais poderosas ferramentas que tens ao teu dispor para perceber quem visita o teu site. Melhor de tudo, é grátis.

Através do Analytics podes saber quem visita ou visitou o teu site, em que local estão, quando ocorreu essa visita, durante quanto tempo, que páginas visitaram, por onde entraram e por onde saíram.

À partida investigar os resultados do teu site no Google Analytics parece ser algo complexo. Se a avaliação for rigorosa e intensa até é, tendo em conta a profundidade dos dados que podes obter. No entanto, se pretenderes apenas um quadro geral de quem passa no teu site, podes faze-lo numa investigação semanal de 30 minutos.

É um recurso imprescindível para criar conteúdos direcionados a que te visita. Como iremos ver já a seguir.

Cria conteúdo com regularidade para motivar os visitantes a regressarem

Cria conteúdo relevante, de qualidade e original, de forma regular.

Há quem lhe chame marketing de conteúdo. Outros preferem conteúdo de comunicação.

Por conteúdo queremos dizer artigos no blog do teu site, vídeos, podcasts ou uma mistura de tudo isto. Um blog, tenha o nome que tiver, é fundamental num site. Seja institucional, de portfólio, de promoção de negócio ou loja online.

Publica com regularidade, de preferência uma vez por semana, no mínimo.

Os artigos devem ter, pelo menos, mais de 600 palavras mas tenta ir um pouco mais além. Tenta apontar a mais de 1200. Explora o tema em profundidade mas mantém a qualidade elevada.

O Google adora artigos originais e detalhados mas detesta texto encharcado de ‘palha’ ou, pior, de palavras-chave. E, acredita, o Google ‘sabe’ quando isso acontece e não é nada meigo no que diz respeito a arrasar o teu site nos motores de busca se perceber que o estás a tentar enganar.

Pior que o Google, os teus leitores percebem quando estás a encher o texto apenas para o fazer longo. É provável que percas a confiança deles e não há nada pior que isso no relacionamento com um cliente.

Sim, se for preciso encara cada pessoa que entra no teu site como um cliente.

A verdade é que uma estratégia de marketing de conteúdo bem definida, com objetivos determinados, ajuda a criar confiança, apresenta os benefícios do que tens para oferecer aos potenciais clientes, ao mesmo tempo que responde às suas preocupações.

Cria conteúdo de forma regular e com qualidade
Cria conteúdo de forma regular e com qualidade

Faz ofertas de conteúdo extra para aprofundar o relacionamento

Em conjunto com os artigos faz uma oferta com regularidade. Pode não ser em todos eles mas, pelo menos, uma vez de duas em duas semanas. Esta oferta pode ser um ficheiro pdf de meia dúzia de páginas com conteúdo original e que tenha valor acrescentado para quem o transferir.

Por exemplo, no caso de um site de roupa:

  • As últimas tendências da moda;
  • As cores da primavera / verão deste ano;
  • As melhores túnicas para quem tem cabelo curto.

Pode também ser um cupão de desconto de 5%, que só será utilizado por quem ler o artigo ou subscrever a newsletter.
Talvez a oferta de um aconselhamento personalizado em pdf (exemplo: para o mês da Páscoa sugerimos as camisas claras).

Estes conteúdos não devem ser promocionais em termos de vendas. O objetivo é procurar oferecer valor às pessoas, reforçando a confiança na tua marca, empresa ou negócio como uma autoridade em que se pode confiar.

Há muitos outros tipos de ofertas que se podem fazer, dependendo do segmento de mercado em que te encontras.

Liga a obtenção destas ofertas à subscrição da tua newsletter, para obteres mais contactos. Já lá iremos.

Não tens tempo para escrever artigos?

Nem só de artigos escritos se faz a comunicação online. Em alternativa, ou em complemento, faz vídeos ou cria um podcast.

Num caso como no outro, usa a mesma estratégia que a recomendada para os artigos.

  • Regularidade, um novo vídeo ou episódio todas as semanas;
  • Consistência, sempre no mesmo dia e com o mesmo tempo de duração médio;
  • Qualidade, entregando valor a quem vê e ouve.

Também aqui podes integrar uma oferta como meio de captação de novos subscritores para a tua newsletter.

Trata bem os subscritores da tua newsletter

Antes de mais, tens uma newsletter?

Sim? Excelente, segue em frente.
Não? Começa a criar a tua já a seguir. Que seja a primeira coisa a fazer depois de leres este artigo.

O email marketing continua a ser um meio de excelência para contactar com clientes, potenciais clientes, parceiros e demais pessoas interessadas no que tens a dizer.

Cuida bem todos os subscritores e faz limpeza regular da tua lista, para a manteres saudável. Uma lista de inscritos grande não tem significado se ninguém abre os teus emails. Antes pelo contrário, acabará por te prejudicar ao longo do tempo.

Analisa os indicadores de inscritos e as taxas de abertura e de cliques, dos emails que envias, para veres se estão alinhados os não com o conteúdo apresentado.

Vê aqueles que acolhem melhor reação por parte dos subscritores e procura perceber o que os cativou. Talvez tenhas encontrado um tópico para apresentar mais vezes.

Dedica particular atenção ao título. É aquilo que os subscritores vêem primeiro. De todos os emails que recebem, só uma parte vai merecer a atenção dessas pessoas. Dessa parte, só aqueles que têm títulos que lhes chamam a atenção é que serão abertos.

Define uma regularidade para o envio da newsletter. Pode ser mensal, duas vezes por mês ou semanal mas mantém uma rotina de enviar no mesmo dia da semana. Sem falta.

Diversifica o conteúdo. Evita que seja apenas promocional e oferece utilidade aos subscritores.

Cativa novos subscritores para a newsletter

É importante manter abertas as inscrições e procurar novos subscritores de forma ativa. Entre as formas de procurar captar as pessoas, está a possibilidade de oferecer conteúdos extra, algo de exclusivo, iniciativas especiais e descontos. Usa esta opção com cuidado. É importante que as pessoas sintam que é útil e importante para elas receber as tuas newsletters. Não queres que elas façam a subscrição apenas a pensar no desconto.

Há diversas ferramentas que podes usar para captar subscritores.

Nós usamos e recomendamos o OptinMonster.

É um dos melhores e mais leves softwares do mercado para este segmento.

 

Define uma regularidade para o envio da newsletter e diversifica o conteúdo.
Define uma regularidade para o envio da newsletter e diversifica o conteúdo.

Usa o Facebook para comunicar e não apenas para vender

O Facebook é uma festa social. Faz parte dele com esse espírito.

Ninguém gosta de ter numa festa um indivíduo incómodo que passa o tempo a entregar cartões de visita e a falar do que tem para vender.

Portanto, não faças apenas publicações promocionais. Ajuda, aconselha, informa, envolve, responde a perguntas.

Faz vídeos utilizando o Facebook Live e reutiliza-os uns dias mais tarde. Remete para artigos, de preferência, ou produtos. Não sejas demasiado promocional e procura sempre oferecer valor de foram gratuita. As venda vêm mais tarde.

Mais:

  • Equaciona a criação de uma comunidade através de um grupo;
  • Incentiva as pessoas a fazerem-te perguntas pelo Facebook Messenger e responde a todas;
  • Faz publicidade no Facebook, incluindo ações de retargeting e eventuais ofertas;
  • Cria quizes sobre questões relevantes mas tentando que seja divertido.

A publicidade no Facebook, quando bem dirigida e bem feita, é uma forma extraordinária de captar visitantes para o teu site, divulgar a marca, criar uma ligação e, mais tarde, captar clientes.

Não deixes de considerar a realização de publicidade no Facebook Ads e no Google AdWords no âmbito desta estratégia. Temos mais sobre isto daqui a pouco.

Se ainda tens um perfil muda já para página

Se és uma marca, empresa ou negócio e ainda usas um perfil, muda já para uma página. Por um lado, porque faz parte das regras da rede social. Por outro, porque estás a prejudicar a tua empresa, uma vez que os dados usados pelo Facebook para avaliar os perfis e as páginas são bem diferentes.

Faz publicidade no Facebook Ads e Google AdWords

 

São duas das melhores formas de fazer publicidade. Mais do que concorrenciais são complementares. Cada uma deve ser usada de forma específica, quando se trata de levar novos visitantes para o teu site.

Permitem uma gestão de custos controlados e definir o público-alvo pelas palavras-chave, interesses e comportamentos.

Com ações bem preparadas vais conseguir chegar ao público pretendido.

A publicidade online pode ajudar o teu negócio a crescer.
A publicidade online pode ajudar o teu negócio a crescer.

Aproveita o poder visual do Instagram e do Pinterest

Se o teu negócio envolve um forte apelo visual, é obrigatório estares presente e atuares no Instagram e no Pinterest. São duas redes sociais onde a imagem fala mais alto.

O Instagram permite que os utilizadores percorram o feed e naveguem por entre as diversas publicações, por isso não esqueças de inserir links para o teu site.

Há, no entanto, um cuidado muito importante: as tuas imagens têm de ser de excelente qualidade. Se não conseguires manter um fluxo regular de publicação de imagens de qualidade (e qualidade não significa uso excessivo de filtros), então é preferível ficares de fora.

O Pinterest não implica um rigor tão elevado de qualidade de imagens mas deves manter uma presença profissional mas envolvente. E isso implica a necessidade de dedicares algum tempo a estas tarefas.

Garante um site rápido

Ninguém gosta de esperar pelo carregamento de um site. Todos estamos dispostos aguardar por uns instantes mas preferimos um site ao estilo Usain Bolt que ao género William Carvalho.

Portanto, quando o objetivo é levar mais pessoas ao teu site com regularidade, faz com que seja rápido e eficiente.

Procura que a performance não comprometa o que tens para apresentar. Por vezes, porque achas que precisas de algum fogo de artifício para ficar ‘mais bonito’ inseres elementos que acabam por tornar o site mais lento.

Procura encontrar um compromisso entre as funcionalidades, os adereços e a velocidade e escolhe aquilo que é mais importante para o teu projeto.

Esta talvez seja a tua primeira preocupação, antes de pensares em todo o resto.

Conclusão

Se parece muito, é porque é.

A boa notícia é que não tens de fazer tudo de uma vez, nem de um dia para o outro.

Começa por fazer um plano, define objetivos e prioridades, meios e datas. Mas não fiques pelo planeamento. Dá o passo em frente e faz. Começa já hoje.

Algumas destas acções só vão fornecer resultados dentro de meses mas poderão ser as tuas melhores ferramentas para cativar o público-alvo. Outras produzem resultados mais rápido mas podem ter um efeito de curto prazo. Daí a nossa insistência na importância da regularidade e consistência das ações aqui recomendadas.

É muito trabalho?

Sim. Mas é também a forma de conseguires elevar o teu projeto a novos patamares, captares novos visitantes para o site e converte-los em clientes.

De preferência daqueles que regressam e compram.

José Freitas

José Freitas

Jornalista de profissão, aficionado do WordPress em projectos pessoais e colaborativos. Cinema, música, tecnologia, fotografia e mais umas coisas. De vez em quando assobia e alguma coisa acontece.

Queres receber as nossas mensagens semanais o teu email?

As nossas mensagens são compostas por pequenos textos escritos a pensar em ti (sim a sério, a pensar em ti).

Não enviamos SPAM porque também não gostamos de o receber.