10 Erros graves que tens evitar no email marketing para obteres melhores resultados

Uma lista de erros graves que tens de evitar no email marketing e sugestões de como proceder para obteres bons resultados com as newsletters.

Quanto emails tens hoje por ler no teu email? Quantos lês, em média, por dia?

A resposta será, quase sempre, muitos, para ambas as questões.

O elevado número de mensagens, as outras diversas distrações digitais, como as redes sociais, as aplicações de chat, o ritmo intenso do dia a dia, representam um obstáculo de peso ao sucesso do email marketing.

Mas a verdade é que continua a ser uma extraordinária forma de comunicação, de promoção, de estabelecimento de relações e vendas.

Enviar email exige tempo e é importante que quando envias um email para a tua lista de subscritores, a mensagem obtenha o devido destaque entre todas as outras, para que possas retirar algum benefício.

Preparamos uma lista de alguns erros básicos que muitas empresa cometem, para que os possas evitar e não cair na asneira de enviar mensagens que não são abertas, lidas e não tens nenhum clique.

A acompanhar os erros apresentamos ainda sugestões de como proceder para obter resultados em campanhas de email marketing.

Erro 1: Desapareces depois de enviares a mensagem de boas-vindas

É um clássico.

Um utilizador subscreve a newsletter num site e pouco depois recebe um primeiro email a pedir a confirmação. Depois deste passo, enquadrado numa inscrição com duplo opt-in, recebe um segundo email com a mensagem de boas-vindas.

É um processo transparente e automático, usado pela maior parte das empresas fornecedoras de soluções de email marketing, sem intervenção dos administradores do site. Estes configuraram o sistema uma vez e deixaram ficar.

Depois disto, o silêncio. Num um ‘ui’, nem um ‘ai’.

Durante muito tempo o utilizador fica sem receber qualquer novidade e acaba por esquecer aquela newsletter. Até que um dia recebe um email e acaba a perguntar-se como ou porquê o recebeu.

Muitas empresas e administradores de sites ficam tão obcecados em não incomodar os subscritores que só enviam mensagens ‘quando o rei faz anos’. Noutros casos não sabem o que dizer ou como dizer.

 

Muitas empresas e administradores de sites ficam tão obcecados em não incomodar os subscritores que só enviam mensagens ‘quando o rei faz anos’.
Muitas empresas e administradores de sites ficam tão obcecados em não incomodar os subscritores que só enviam mensagens ‘quando o rei faz anos’.

 

Alguns destes é o teu caso?

Seja qual for a razão, não deves deixar de comunicar com os teus subscritores com regularidade.

A melhor forma de evitar ser classificado como ‘chato’ é oferecer conteúdo de valor e útil para os teus subscritores. Esta é uma forma de estabelecer relacionamentos com a tua audiência e, ao mesmo tempo, ajuda-los.

Envia os últimos artigos no teu site, as tuas mais recentes publicações, as novidades mais relevantes. De vez em quando apresenta os teus produtos e serviços.

Lembra-te que as pessoas que subscreveram a tua lista fizeram-no apenas porque estavam interessados no teu conteúdo e no que tens a dizer. Só serás ‘um chato’ se não ofereceres conteúdo de qualidade e valor.

Erro 2: Entras em pânico porque alguém cancelou a subscrição

Muitas pessoas ficam preocupadas quando alguém cancela a subscrição da respetiva newsletter. É um receio comum e se for o teu caso fica a saber que tens uma alargada companhia.

A boa notícia é que, à partida, não te deve preocupar com isso. Já lá vamos.

Há diversas razões para que os subscritores deixem de o ser:

  1. Porque deixaram de estar interessados ou envolvidos naquele ramo de atividade;
  2. Porque nem se recordam de ter subscrito (ver ponto anterior);
  3. Porque as tuas mensagens não correspondiam às suas expectativas;
  4. Porque envias muitos emails;
  5. Porque abusas das promoções de produtos e serviços;
  6. Porque é tudo sobre ti e nada sobre eles;
  7. Porque os teus emails são confusos;
  8. Porque não conseguem ver os teus emails em mobile;
  9. Porque se enganaram e, na verdade, não queriam sair;

Para alguns destes casos não deves fazer nada. Noutros, como nos pontos 5, 6, 7 e 8, é tempo de repensares a tua estratégia.

O que não deves fazer é entrar em pânico.

Lembra-te que é muito provável que as pessoas que deixam a tua lista não venham a ser tuas clientes. Além disso, algumas podem voltar mais tarde.

Por outro lado, tu próprio deves fazer a limpeza da tua lista de subscritores de vez em quando.

Erro 3: Evitar promover demasiado ou não promover de todo

Este é mais um daqueles casos em que pode ser complicado encontrar um equilíbrio, sendo que cada caso terá as suas particularidades.

Se envias newsletters demasiado promocionais, os teus subscritores podem ficar um tanto ou quanto fartos dessas mensagens e optar por cancelar a subscrição. Estás a desperdiçar um potencial cliente.

Por outro lado, se nunca envias ofertas relevantes do que tens para oferecer, as pessoas podem nem saber que estás a vender produtos ou serviços.

Evita, por isso, seguir uma das vias dos extremos e procura um ponto de equilíbrio entre a oferta de valor gratuita e a apresentação de produtos comerciais.

A harmonia entre estas vertentes depende do setor de actividade e da frequência com que envias emails.

No entanto, adota a regra de inserir conteúdos de valor mesmo quando inseres promoções na newsletter.

procura um ponto de equilíbrio entre a oferta de valor gratuita e a apresentação de produtos comerciais
Procura um ponto de equilíbrio entre a oferta de valor gratuita e a apresentação de produtos comerciais

Erro 4: Tentar dizer muito numa única mensagem

Já recebeste uma newsletter com três, quatro ou cinco tópicos, mais uma mão cheia de links para diferentes conteúdos, além de umas quantas imagens com outras ligações?

São mensagens que gritam confusão por todo o lado. Não têm um foco e procuram disparar em todas as direções a ver se alguma coisa cola.

Ora aqui está mais um aspeto em que tens de procurar a moderação.

Numa altura em que o email é tão ou mais consultado em terminais móveis que em computadores, evita o excesso de informação e links numa mesma mensagem.

Sobretudo, evita cansar o subscritor.

Usa a regra da simplicidade:

  • Escolhe um tema principal e, no limite, um ou dois secundários;
  • Prefere uma única chamada para ação;
  • Não uses demasiadas imagens;
  • Não uses só imagens;

Se tens muito para dizer, talvez seja preferível equacionares enviar emails com maior frequência e menos intensos em termos de conteúdo.

No entanto, se for inevitável enviares muitos textos, imagens e links, faz com que sejam apresentados e segmentados de forma clara para que sejam facilmente identificáveis pelos utilizadores.

evitar confundir os subscritores
Evita o excesso de informação e links numa mesma mensagem.

Erro 5: Procura não ser chato

Não há nada pior que enviar uma newsletter aborrecida e inócua.

Pensa no teu caso. Presumo que também recebas inúmeros emails todos os dias. Provavelmente não os lês a todos. Alguns ficam para ler mais tarde mas é muito provável que fiquem esquecidos até serem ‘arquivados’. Outros são ‘arquivados’ de imediato, ficando num limbo à espera de um dia serem precisos e quase nunca são. Por fim, há ainda aqueles que são eliminados de imediato.

O que fazes é semelhante à maior parte dos subscritores que recebem a tua newsletter.

Por isso, tenta fazer com que o teu email seja um dos que merecem ser lidos pelas pessoas. Isto pode ser feito mantendo o profissionalismo.

Coloca um pouco da tua personalidade na mensagem. Usa a tua voz (ou a voz da tua empresa). Diz o que gostas e não gostas. Partilha histórias e opiniões.

Antes que digas que isso não é possível, porque nem toda a gente da empresa tem a mesma opinião sobre um assunto, é importante que saibas que nem todas as pessoas que fazem a empresa têm de estar de acordo.

A empresa é que precisa de ter uma voz.

Mas não exageres: limita-te a abordar o teu ramo de atividade e evita ter opinião sobre tudo e nada.

Não há nada pior que enviar uma newsletter aborrecida e inócua
Não há nada pior que enviar uma newsletter aborrecida e inócua

Erro 6: Enviar emails que não abrem em mobile

Uma parte significativa das pessoas vê o email em dispositivos móveis. Os últimos dados indicam mesmo que essa percentagem é de 65%.

Portanto, o melhor é adequar os teus emails à forma como as pessoas lêem as mensagens.

Esquece designs complicados e a distribuição de conteúdos em duas, três ou mais colunas.

Mais uma vez, segue o caminho da simplicidade.

  • Envia newsletters de uma coluna;
  • Letras de tamanho decente para serem lidas num ecrã de 4 polegadas;
  • Linhas espaçadas para facilitar a leitura;
  • Links claramente definidos e visíveis;

Testa o modelo de email que pretendes enviar e passa a usar sempre o mesmo. Não se trata de facilitar a tua vida, trata-se de facilitar a vida dos teus utilizadores.

Uma parte significativa das pessoas vê o email em dispositivos móveis
Uma parte significativa das pessoas vê o email em dispositivos móveis

Erro 7: Não fazer perguntas aos subscritores

É verdade que os subscritores procuram a tua informação e promoções. Mas para cada subscritor não há ninguém mais importante que ele próprio. Não é nada de extraordinário, é apenas a natureza humana.

Uma forma de saberes se aquilo que estás a inserir nas mensagens está a agradar aos subscritores é perguntar-lhes. De vez em quando, uma a duas vezes por ano, faz um pequeno inquérito.

Procura saber se estão a gostar do conteúdo, o que gostariam de ver mais vezes e menos vezes, se têm ideias e sugestões.

Não esperes receber uma enchente de respostas mas apenas algumas podem ser importantes não apenas para definires o conteúdo das newsletters como, quem sabe, para ajustarem um ou outro produto.

O inquérito pode ser uma boa forma de criares e prolongares o relacionamento e a conversação com os teus subscritores, tornando-os em fãs e clientes.

Uma forma de saberes se aquilo que estás a inserir nas mensagens está a agradar aos subscritores é perguntar-lhes
Uma forma de saberes se aquilo que estás a inserir nas mensagens está a agradar aos subscritores é perguntar-lhes

Erro 8: Tentar agradar a todos

É o desejo de algumas pessoas. Fazem tudo (ou quase tudo) para procurar agradar a toda a gente.

Para isso estão dispostas a afirmar uma coisa e o seu contrário. Às vezes no mesmo email.

Em toda e qualquer circunstância, isso não vai acontecer.

O melhor é deixar de lado a ideia de querer agradar a todos.

Procura definir os teus públicos-alvo e fala para eles.

Erro 9: Usar um noreply como email remetente

Uma boa estratégia de email marketing passa por personalizar o remetente e o destinatário da mensagem.

Usar um ‘noreply’ como endereço de email que envia a mensagem é uma prática desadequada. As pessoas querem relacionar-se com outras pessoas e não com endereços de email.

Com um ‘noreply’ as empresas estão a dizer aos subscritores que não pretendem saber nada deles ou sequer comunicar.

Usa, como remetente, um email pessoal, de um endereço que é monitorizado na tua empresa. Responde às mensagens. Estás a abrir um canal de comunicação com clientes ou potenciais clientes.

Erro 10: Não ter uma estratégia de envio de newsletters

Talvez este seja o principal de todos os erros.

O email marketing é encarado, por muitas pessoas, como algo que tem de ser feito mas que não deve envolver muito pensamento. Uma espécie de ‘atirar o barro a parede’, para ver se cola.

No entanto, como dissemos atrás, o email marketing é uma excelente forma de comunicação, de promoção e vendas. Logo, não deve ser desprezado.

É essencial definir uma estratégia de newsletters que esteja enquadrada nas restantes ações de marketing. Cada email deve ser preparado de forma alinhada com todas as tuas outras operações.

Aliás, uma boa estratégia começa mesmo na fase de captação de subscritores, determinando objetivos e segmentos de público.

como criar uma estratégia de email marketing
Uma boa estratégia de email marketing começa na fase de captação de subscritores.

Conclusão

Se evitares estes erros, ou os corrigires, é apenas uma questão de tempo até começares a cumprir todos os alguns dos objetivos da tua estratégia de email marketing.

Tem em conta que mais que conduzir a vendas imediatas, o email marketing tem como principal tarefa a criação de relações fortes com os teus subscritores, sejam eles clientes, potenciais clientes ou apenas admiradores do que fazes na tua newsletter.

Agora é o teu tempo de evitar ou rectificar os erros que cometes.

José Freitas

José Freitas

Jornalista de profissão, aficionado do WordPress em projectos pessoais e colaborativos. Cinema, música, tecnologia, fotografia e mais umas coisas. De vez em quando assobia e alguma coisa acontece.

Queres receber as nossas mensagens semanais o teu email?

As nossas mensagens são compostas por pequenos textos escritos a pensar em ti (sim a sério, a pensar em ti).

Não enviamos SPAM porque também não gostamos de o receber.