6 formas das empresas enfrentarem a crise económica por causa do COVID-19

Vais baixar os braços ou lutar pela tua empresa?

Estás nervoso e preocupado com a incerteza da economia e o futuro do teu negócio, da tua empresa e do teu emprego.

É compreensível.

Depois das preocupações com teu estado de saúde, da família e amigos, a situação profissional será a tua prioridade e aquilo que te vai ocupando os pensamentos ao longo dos dias.

A questão que se coloca agora é simples: és daqueles que vai…

  • parar e baixar os braços sucumbindo ao medo;
  • hesitar e andar aos tropeções, em pânico e sem rumo;
  • ou lutar, concentrar as tuas atenções no que é importante e adaptar-te a uma nova etapa?

Este não é o momento para baixar os braços. Nem para cambalear ao sabor do vento.

Este é o tempo de te adaptares e lutares.

Vais baixar os braços ou lutar?
Photo by Agefis on Unsplash

Escolhe o óbvio caminho por entre as duas verdadeiras opções

Primeiro ponto: respira.

Segundo ponto: lembra-te que nada disto é novo, em termos de economia e crise da economia e das empresas.

Sim, vai levar a constrangimentos económicos e a uma recessão. Tal como aconteceu no passado, por outras razões e circunstâncias.

Por outro lado, pode mesmo ser uma recessão relativamente curta em comparação com outras que ocorreram no passado.

Se fizeres parte daqueles dois primeiros grupos, dos que vão baixar os braços e dos que vão andar aos tropeções, é muito provável que a tua empresa e o teu emprego não estejam cá quando a crise acabar. Na melhor das hipóteses podes até resistir mas vais encontrar-te numa situação pior do que aquela em que te encontravas no início de tudo isto.

Se fizeres parte daqueles que vão lutar, vais conseguir reagir, adaptar-te e sair desta situação mais forte.

Usa as ferramentas online para comunicar com clientes e com a equipa
Usa as ferramentas online para comunicar com clientes e com a equipa
Photo by Harry Cunningham on Unsplash

O que podes fazer já para segurar e apoiar a tua empresa

  1. Começa por analisar as contas e entender como poderás, se necessário, obter eventuais linhas de crédito. Sejam aquelas anunciadas pelo Governo, sejam outras disponibilizadas pelos bancos. Se precisares de recorrer a estes instrumentos, actua e coloca-te na linha da frente.
  2. Olha para as tuas despesas e corta no que for totalmente desnecessário. Mas avalia com cuidado aquilo que poderá ser considerado ‘desnecessário’. Na maior parte dos casos será aquilo que não tiver uma utilidade permanente. Muitas vezes a tendência é cortar, por exemplo, em publicidade, software ou serviços de apoio ou consultoria. Ora, é precisamente em momentos como este que estes produtos e serviços são ainda mais essenciais. Sobretudo quando representam, como devem representar sempre, uma mais valia e uma utilidade constante.
  3. Quando possível e apenas se necessário, procura obter dinheiro junto de clientes, através de pagamentos antecipados em troca de descontos, por exemplo.
  4. Comunica com a tua equipa, se a tiveres, e lidera. Explica o ponto de situação, apresenta o teu plano e pede sugestões. Se és o líder da empresa, procurar preservar as posições dos teus funcionários e colaboradores até onde puderes. São eles que te vão ajudar a regressar ao sucesso quando esta fase terminar.
  5. Comunica com os teus clientes. Conversa com eles, conhece a sua situação e ajuda-os na medida do possível a ultrapassar esta fase. Oferece uma melhor experiência, prestando um apoio suplementar. Nuns casos pode ser através de formação ou ideias. Noutros casos pode ser através de ofertas ou cupões.
  6. Fala com os teus fornecedores. Aborda um eventual atraso no pagamento das facturas ou, por outro lado, faz pagamentos adiantados em troca de descontos.
Aquilo que esta situação nos trouxe para o futuro é a definitiva mudança para uma economia (mais) digital
Aquilo que esta situação nos trouxe para o futuro é a definitiva mudança para uma economia (mais) digital (e mais depressa)
Photo by Marvin Meyer on Unsplash

Prepara o futuro, para um crescimento sólido

Esta é uma oportunidade para fazer algumas iniciativas que estão pensadas, são importantes mas acabavam sempre por ser adiadas.

Eventualmente fazer aqueles manuais de operações e procedimentos ou acções de formação para a equipa.

Por fim, se puderes, se tiveres meios financeiros: investe e cresce.

Este é o momento certo para isso, porque uma parte das pessoas vai cair na tentação de parar, baixar os olhos ou andar aos tropeções, deixando-te margem para crescer.

Continua a apostar e reforça a tua comunicação estratégica, em particular online:

Não tens nada disso? Está na hora dares o passo em frente.

Porque aquilo que esta situação já nos trouxe para o futuro é a definitiva mudança para uma economia (mais) digital. E mais depressa.

O melhor momento para fazeres essa transformação foi ontem. O segundo melhor momento é hoje.

Aprende com a história

Diz-nos a história que em momentos de crise, aqueles que saíram melhor dessa fase foram os que se adaptaram, reagiram e investiram. De que lado da história vais ficar?

Nota: Este artigo foi publicado a 25 de Março de 2020, no decurso da pandemia provocada pela doença COVID-19

José Freitas

José Freitas

Jornalista de profissão, aficionado do WordPress em projectos pessoais e colaborativos. Cinema, música, tecnologia, fotografia e mais umas coisas. De vez em quando assobia e alguma coisa acontece.

Queres receber as nossas mensagens semanais o teu email?

As nossas mensagens são compostas por pequenos textos escritos a pensar em ti (sim a sério, a pensar em ti).

Não enviamos SPAM porque também não gostamos de o receber.